Banner

Publicações Acadêmicas

Nesta seção, encontram-se reunidas produções acadêmicas como artigos, dissertações e teses, além da indicação de periódicos nacionais e internacionais que tratem do tema da segurança viária, contemplando suas diversas disciplinas envolvidas. A seção permanecerá em constante atualização.

1. Análise da aderência pneu-pavimento em pontos de ocorrência de acidentes

{Autores: Cláudia Azevedo Pereira, Jorge Barbosa Soares, Verônica Teixeira Franco Castelo Branco, Ivaldo Dario da Silva Pontes. Publicado em: TRANSPORTES v. 20, n. 2, 2012. ISSN: 2237-1346 (online). DOI:10.4237/transportes.v20i2.525.}

Resumo: Estudos mostram que as condições das rodovias influenciam na ocorrência de acidentes. Desta forma, é necessário tomar medidas que possam minimizar esta influência. Para tal, é importante identificar os principais defeitos dos pavimentos e tentar propor medidas corretivas. O presente trabalho analisa alguns aspectos relacionados a aderência pneu-pavimento dos principais trechos de ocorrência de acidentes em estradas de Pernambuco e da Paraíba, através dos ensaios de Mancha de Areia, Pêndulo Britânico e Drenabilidade, além da realização dos cálculos para obtenção do índice combinado IFI (International Friction Index) dos pontos selecionados. Em seguida, algumas misturas asfálticas aplicadas em campo foram replicadas em laboratório, para verificação do comportamento das mesmas com relação à aderência pneu-pavimento. Com isto, foram obtidos valores que podem auxiliar no desenvolvimento de uma metodologia de previsão do comportamento destes materiais em campo, visando uma maior segurança das rodovias através da verificação do parâmetro aderência pneu-pavimento.

2. Avaliação da segurança rodoviária em fase de planeamento: modelo estatístico de resposta qualitativa

{Autores: Sara Ferreira e António Couto. Publicado em: TRANSPORTES v. 20, n. 2, 2012. ISSN: 2237-1346 (online). DOI:10.4237/transportes.v20i2.548.}

Resumo: Neste estudo propõe-se a adoção de um modelo estatístico de resposta qualitativa para a análise da segurança rodoviária de redes de transporte na fase de planeamento. Tendo em conta as características desta fase, como seja a escassez de informação e o âmbito generalista da análise, os modelos de resposta quantitativa poderão não ser os mais adequados como se pretende demonstrar com este estudo. Assim, neste trabalho desenvolveu-se um modelo de resposta qualitativa (modelo ordenado probit MOP) considerando três categorias de (in)segurança como variável dependente, com base nos dados da cidade do Porto. Os parâmetros foram estimados com nível de confiança de 95% estando os efeitos marginais em linha com outros estudos. Nesse sentido, verifica-se que os locais com menor risco de ocorrer acidentes correspondem a segmentos classificados como via distribuidora local e situados em zonas de baixa densidade habitacional ou com equipamentos públicos. Com o objetivo de analisar a influência dos atributos do segmento na segurança, assim como comparar os resultados do MOP com um modelo binomial negativo, considerou-se ainda uma análise dos referidos modelos a cenários de segmentos hipotéticos. O MOP, através da probabilidade de ocorrer cada categoria, permite realizar uma análise de risco a partir da qual se podem comparar diferentes soluções definidas em fase de planeamento.

3. Modelos de previsão de acidentes de trânsito em interseções semaforizadas de Fortaleza

{Autores: Flávio José Craveiro Cunto, Manoel Mendonça de Castro Neto e Davi Sales Barreira. Publicado em: TRANSPORTES v. 20, n. 2, 2012. ISSN: 2237-1346 (online). DOI:10.4237/transportes.v20i2.558.}

Resumo: As interseções viárias urbanas concentram grande parte dos acidentes de trânsito em virtude do elevado grau de interação entre usuários, veículos e via. Os modelos de previsão de acidentes são modelos de regressão que relacionam a frequência dos acidentes de trânsito com atributos geométricos e operacionais da via e lidam, com relativo sucesso, com o elevado grau de aleatoriedade desse fenômeno. O objetivo deste trabalho é desenvolver modelos de previsão de acidentes de trânsito para interseções semaforizadas da cidade de Fortaleza, com ênfase na metodologia para a construção de modelos simples e confiáveis. Os modelos foram estimados com uma amostra de 101 interseções em função do volume diário médio anual, número de faixas, número de aproximações e tipo de separador central. O modelo contendo o fluxo e número de faixas apresentou desempenho satisfatório para a predição do número total de acidentes de trânsito nas interseções semaforizadas avaliadas.

4. Comparação entre indicadores proxy sintéticos de segurança viária e acidentes de trânsito em interseções semaforizadas de Fortaleza

{Janailson Queiroz Sousa, Flávio José Craveiro Cunto e Marcos William Sasaki. Publicado em: TRANSPORTES v. 20, n. 3, 2012. ISSN: 2237-1346 (online). DOI:10.4237/transportes.v20i3.582.}

Resumo: A simulação de tráfego microscópica tem sido desenvolvida e aplicada nas duas últimas décadas com o foco principal no projeto e operação de sistemas de transporte. Recentemente, devido aos avanços nas técnicas de coleta de dados e algoritmos microscópicos, o potencial da microssimulação como ferramenta para avaliações de segurança tem sido explorado de forma mais extensiva. Este tipo de abordagem pode permitir um melhor conhecimento sobre a cadeia de eventos que precederam a ocorrência dos acidentes, portanto, levando a uma metodologia mais abrangente para estudos de segurança quando comparados aos tradicionais estudos observacionais. Este artigo apresenta um esforço de validação entre colisões traseiras observadas e conflitos de tráfego simulados, refletidos por três medidas de desempenho de segurança (SPM – safety performance measures): tempo para a colisão (TTC – time to collision), taxa de desaceleração para evitar a colisão (DRAC – deceleration rate to avoid the crash) e o índice de potencial para acidentes (CPI – crash potencial index). Três interseções semaforizadas e isoladas de vias arteriais da cidade de Fortaleza foram selecionadas para este estudo. Foram coletados três anos de dados de acidentes (2007- 2009) para quatro horas do período da manhã (7h00-11h00) e foram comparados com o número de conflitos de tráfego estimado por um experimento de simulação microscópica. Os resultados indicaram que todas as SPM testadas foram capazes de capturar diferenças no número de acidentes entre os três locais de estudo, sugerindo um grande potencial para aplicação dessa abordagem nas análises de segurança. Por outro lado, para alcançar resultados mais amplos e expressivos verificou-se a necessidade de aplicar o método proposto em uma amostra mais representativa.

5. Transferência de modelos de previsão de acidentes entre cidades brasileiras

{Autores: Flávio José Craveiro Cunto, Christine Tessele Nodari, Heloisa Maria Barbosa. Publicado em: TRANSPORTES v.22, n. 3, 2014. ISSN: 2237-1346 (online). DOI: http://dx.doi.org/10.14295/transportes.v22i3.790}

Resumo: Os modelos de previsão de acidentes (MPA) são expressões que relacionam a frequência dos acidentes de trânsito com atributos geométricos e operacionais da via e lidam, com relativo sucesso, com o elevado grau de aleatoriedade desse fenômeno. O desenvolvimento desses modelos exige esforços consideráveis para a obtenção de dados em quantidade e qualidade adequados para a modelagem. A utilização de modelos desenvolvidos em outras jurisdições pode ser uma alternativa menos onerosa do que o desenvolvimento de modelos específicos para cada localidade. O objetivo deste trabalho é avaliar a transferibilidade de MPA para interseções semaforizadas entre cidades brasileiras. Modelos previamente desenvolvidos para Fortaleza e Belo Horizonte foram calibrados e validados para a estimação dos acidentes na cidade de Porto Alegre. Os resultados indicaram que a transferência de MPA entre jurisdições é uma alternativa que deve ser usada com parcimônia, sendo desejável investir esforços no desenvolvimento de modelos específicos para cada jurisdição.

6. Métodos de identificação de zonas de acumulação de acidentes: Revisão e aplicação a um caso de estudo

{Autores: Sara Ferreira, Joana Martins. Publicado em: TRANSPORTES v.22, n. 3, 2014. ISSN: 2237- 1346 (online). DOI:http://dx.doi.org/10.14295/transportes.v22i3.813}

Resumo: Neste trabalho apresenta-se uma descrição e análise resumida bem como a aplicação dos vários métodos de identificação de zonas de acumulação de acidentes propostos pelo manual Highway Safety Manual (HSM). É reconhecido internacionalmente a importância deste manual e a sua utilização pelos profissionais responsáveis da segurança viária. O HSM propõe e descreve 13 métodos para identificação de zonas de acumulação de acidentes, todos muito distintos quer em termos de âmbito de aplicação quer na complexidade dos mesmos. Com o objetivo de simplificar a escolha e aplicação destes métodos, o presente estudo descreve e organizos diferentes métodos segundo 3 critérios que podem ser decisivos na escolha e aplicação dos métodos. Para além dos 13 métodos do HSM, apresenta-se ainda um método desenvolvido recentemente e designado de modelo binário probit. Para analisar os referidos métodos, considerou-se como caso de estudo a cidade do Porto, Portugal. Considerando este caso de estudo, foi possível analisar as dificuldades e especificidades de cada método, tendo-se verificado que nem todos os métodos foram possíveis de se aplicar. Os resultados da aplicação dos métodos foram analisados e comparados com base em testes de avaliação de desempenho. Os testes indicam que os métodos excesso previsto da frequência média de acidentes proposto pelo referido manual e o modelo binário probit, mais recentemente desenvolvido, apresentam os melhores resultados. Os resultados desta aplicação poderão servir de base para futuras aplicações noutras regiões e/ou países